Heringeriana https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana <p>Heringeriana é a revista cientí­fica do Jardim Botânico de Brasí­lia que publica, em fluxo contí­nuo, artigos cientí­ficos originais, de revisão, monografias taxonômicas, checklists comentados, notas cientí­ficas e opiniões em diversas áreas de biodiversidade. Todos os tipos de estudos em biodiversidade são considerados, incluindo taxonomia, fisiologia, ecologia e etnobiologia. A Revista não cobra taxas de publicação aos autores, é totalmente gratuita.</p> <p>Publicado desde 1994, a princí­pio como "Boletim do Herbário Ezechias Paulo Heringer" e, a partir de 2007, como Revista Heringeriana. O nome da revista é uma homenagem a Ezechias Paulo Heringer, botânico pioneiro no Distrito Federal que além de propor a criação do Parque Nacional de Brasí­lia, ajudou na implantação do Parque Zoobotânico de Brasí­lia, na criação da Reserva Biológica de Águas Emendadas, Estação Experimental de Agricultura Cabeça-de-Veado, Parque do Gama e o Parque do Guará, que hoje recebe o nome de Parque Ecológico Ezechias Paulo Heringer. Devido ao seu esforço de coleta, também teve seu nome homenageado em 35 espécies novas.</p> <p>Para informações sobre as normas da revista, acesse <a href="https://revistas.jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/about/submissions">Diretrizes para autores</a></p> <p>Para submeter um trabalho, acesse <a title="Submissões online" href="https://revistas.jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/about/submissions">Submissões online</a></p> Jardim Botânico de Brasí­lia pt-BR Heringeriana 1983-6996 Ao fazer a submissão, os autores declaram não ter submetido o trabalho a outra revista e concordam em ter seu artigo publicado sob <strong>Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional BY (CC BY 4.0)</strong>. O conteúdo cientí­fico, ortográfico e gramatical é de total responsabilidade dos autores. Florí­stica em um fragmento urbano (Unidade de Conservação), Sí­tio Santa Eulália, São Luí­s, Maranhão https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917976 <p>Conhecer fragmentos florestais das cidades, buscando identificar a vegetação remanescente, faz-se importante visando a conservação dessas áreas. O presente estudo tem como objetivo realizar o levantamento florístico de um fragmento florestal urbano no município de São Luís, Maranhão. As coletas foram realizadas no Sítio Santa Eulália, entre os anos de 2018 e 2019. Foram identificadas 158 espécies, 133 gêneros e 56 famílias. As famílias mais representativas foram Fabaceae, Asteraceae, Poaceae, Myrtaceae e Rubiaceae. Em relação as formas de vida, as ervas apresentaram maior destaque com 59 espécies, seguidas de arbustos, com 35 espécies e árvores, com 34 espécies. As espécies visualmente mais representativas na área foram Protium heptaphyllum, Ouratea fieldingiana e Emilia sonchifolia. Também foram identificadas na área muitas espécies exóticas, com destaque para Acacia mangium e Mangifera indica. Foram registradas oito espécies exclusivas do domínio Amazônia como Abarema cochleata, Cassipourea guianensis, Croton matourensis e três espécies exclusivas do domínio Cerrado, como Lepidaploa remotiflora, Ouratea hexasperma e Praxelis diffusa. A presença de espécies típicas de diferentes domínios demonstra a importância da proteção desse fragmento florestal urbano em São Luís.</p> Eulália Cristine Guimarães Silva Catherine Rios Santos Marlla Maria Barbosa Arouche Eduardo Bezerra de Almeida Jr. Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-22 2022-03-22 16 e917976 e917976 10.17648/heringeriana.v16i1.917976 Avanços no conhecimento da flora de Sergipe: https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917972 <p>No Brasil são registradas 1.215 espécies de samambaias, sendo 43 ocorrentes em Sergipe, número reduzido em comparação a outros Estados da região Nordeste. O Estado apresenta poucos trabalhos conduzidos especificamente com samambaias e possui potencial para contribuir com novidades na distribuição geográfica de espécies do grupo. Diante disto, o presente trabalho teve como objetivo realizar um levantamento florí­stico das samambaias no Refúgio da Vida Silvestre Mata do Junco (894.76 ha), remanescente de Floresta Atlântica, situado no municí­pio de Capela, Sergipe. As expedições (n= 9) foram realizadas entre os meses de outubro de 2020 a abril de 2021 e os materiais coletados foram herborizados e depositados no Herbário da Universidade Federal de Sergipe (ASE). As identificações tiveram como base referências bibliográficas e comparações por meio de plataformas digitais e de exemplares depositados no ASE. Foram encontradas oito famí­lias, 13 gêneros e 23 espécies de samambaias, sendo cinco novos registros para Sergipe. As famí­lias mais representativas foram Pteridaceae e Polypodiaceae, com oito e cinco espécies, respectivamente. O gênero <em>Adiantum</em> apresentou o maior número de espécies (oito spp.). Apesar de os estudos com as samambaias serem incipientes em Sergipe, as informações obtidas neste trabalho reforçam a importância dos levantamentos florí­sticos. Estes estudos podem preencher as lacunas de conhecimento, evidenciando novas ocorrências e contribuindo com o melhor entendimento das samambaias na flora de Sergipe e brasileira.</p> Marcel Felipe Barros Andrade Augusto César Pessôa Santiago Marla Ibrahim Uehbe de Oliveira Copyright (c) 2022 Marcel Felipe Barros Andrade, Augusto César Pessôa Santiago, Marla Ibrahim Uehbe de Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-03-03 2022-03-03 16 e917972 e917972 10.17648/heringeriana.v16i1.917972 Insetos bentônicos como bioindicadores de qualidade ambiental no Jardim Botânico de Brasí­lia https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917962 <p>O Cerrado é conhecido por possuir clima estacional, com duas estações bem marcadas - chuvosa e seca, e abriga em seu território nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul. Deste modo, o objetivo desse trabalho foi realizar o biomonitoramento do córrego Cabeça de Veado por meio dos í­ndices biológicos <em>Biological Monitoring Working Party</em> (BMWP) e <em>Average Score per Taxon</em> (ASPT), aplicados aos dados da entomofauna. Com este propósito foram realizados, no intervalo de um ano, dois perí­odos de coletas em cinco pontos do curso d'água. Foram realizadas análises fí­sicas e quí­micas e granulométricas sobre a água e sedimentos. Os espécimes coletados foram identificados a ní­vel de famí­lia. Para todos os pontos amostrados, os resultados das análises indicam qualidade "Duvidosa" ou em categorias inferiores, sendo esses valores explicados pela ausência de ordens caracterí­sticas de ambientes conservados. Assim, fica evidente a necessidade de acompanhamento da qualidade do curso d'água, para que ações de manejo, manutenção e recuperação sejam implementadas no córrego.</p> Milena da Silva-Leite Clapton Olimpio de Moura Maria Júlia Martins-Silva Copyright (c) 2022 Milena da Silva-Leite, Clapton Olimpio de Moura, Maria Júlia Martins-Silva http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-02-07 2022-02-07 16 e917962 e917962 10.17648/heringeriana.v16i1.917962 Crescimento populacional, biometria e variação conquiliológica de Iphigenia brasiliensis (Bivalvia: Donacidae) na Baía de Todos os Santos, Nordeste do Brasil https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917986 <p><em>Iphigenia brasiliensis</em> é uma espécie de bivalve comestível, fonte de subsistência de muitas comunidades no litoral baiano, porém pouco comercializado na região Nordeste brasileira. Alteração das características morfológicas de suas conchas e da relação peso de sua carne para o volume de sua concha, dentre outros parâmetros, podem refletir a qualidade do ambiente onde vivem. Neste estudo associou-se o crescimento populacional, a biometria e a variação conquiliológica de <em>I. brasiliensis</em>, às condições ambientais, em um estuário baiano, entre novembro de 2001 e novembro de 2002. Mensalmente, a salinidade, temperatura da água, oxigênio dissolvido, pH, pluviosidade e os organismos foram amostrados, submetidos às variáveis biométricas, fator de condição e analisados por estatística descritiva. Os resultados encontrados mostraram que o comprimento médio dos indivíduos (n = 356) foi de 50,2 mm, com peso total médio de 21,45 g, peso úmido das partes moles médio de 5,12 g, peso das conchas com média anual de 13,54 g e rendimento médio das partes moles de 25,46%. O coeficiente de determinação apresentou mais de 95%. O crescimento da população de <em>I. brasiliensis</em> foi alométrico positivo para a relação peso total x tamanho, e crescimento isométrico para a relação peso das partes moles x tamanho. A variação mensal do fator de condição demonstrou os maiores valores em julho de 2002, concordando com o resultado do rendimento das partes moles. Assim, observa-se a importância de pesquisas básicas sobre a biologia de diferentes populações de bivalves, como subsídio ao cultivo destas espécies e ao aprimoramento do processo de exploração dos bancos naturais.</p> Patrícia Petitinga da Silva Joicelene Regina Lima da Paz Daiana de Jesus do Rosário Marlene Campos Peso-Aguiar Copyright (c) 2022 Patrícia Petitinga da Silva, Joicelene Regina Lima da Paz, Daiana de Jesus do Rosário, Marlene Campos Peso-Aguiar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-06-22 2022-06-22 16 e917986 e917986 10.17648/heringeriana.v16i1.917986 The Amherstieae tribe (Leguminosae - Detarioideae) in the IAN Herbarium of Embrapa Eastern Amazon, Belém, Brazil https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917975 <p>Herbaria are significantly relevant to science; updating and computerizing their data is essential for conducting future research. The IAN Herbarium (Embrapa Eastern Amazon) has an extensive collection of Leguminosae Juss., which was classically divided into three subfamilies; however, in 2017, a review was published proposing a new classification, dividing it into six subfamilies, among them Detarioideae. In 2018, Detarioideae was divided into six tribes, the largest of them Amherstieae. This large taxonomic recircumscription justifies a database update. The objective of the study was to carry out the survey, organization, computerization, and online availability of representatives of the tribe Amherstieae (Leguminosae – Detarioideae) at the IAN Herbarium. First, a survey was carried out on which genera of Amherstieae were represented in the collection. Their specimens were located and had their information inserted in the database and subject to quali-quantitative analyses. 976 specimens belonging to 10 of the 50 genera of Amherstieae were observed. The genus with the most specimens (600) was Macrolobium. The samples had origins in 9 countries, with 885 from Brazil, and from these, 438 from Pará, with 54 municipalities represented. The distribution of collections by mesoregions showed great heterogeneity with a concentration in Northeastern Pará and the Metropolitan Region of Belém. In conclusion, it is of fundamental importance that the Amherstieae data are disseminated, contributing to a greater offer of information regarding this group. Therefore, their data were included in the IAN Virtual Herbarium in January/2019, which can be consulted online from anywhere in the world, assisting in future research.</p> Rebeca Rodrigues Crespo Teixeira Sebastião Ribeiro Xavier Júnior Eunice Gonçalves Macedo Helena Joseane Raiol Souza Copyright (c) 2022 Rebeca Rodrigues Crespo Teixeira, Sebastião Ribeiro Xavier Júnior, Eunice Gonçalves Macedo, Helena Joseane Raiol Souza https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-06-01 2022-06-01 16 e917975 e917975 10.17648/heringeriana.v16i1.917975 Diversity of Euglenophyceae from the Pantanal dos Marimbus (Bahia, Brazil) https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917959 <p>The class Euglenophyceae includes unicellular, autotrophic, mixotrophic, and heterotrophic flagellates, with variable morphology and a wide distribution within continental aquatic ecosystems. The present study aimed to undertake a floristic survey of Euglenophyceae in the Pantanal dos Marimbus, a flood plain in the Caatinga biome, located in the Chapada Diamantina National Park. The region suffers from periodic flooding; the samples were realized from a large area of interconnected lagoons during May and September 2014, April 2015, and August 2016, during the lower rainfall periods before the dry season, when the lagoons were isolated from each other. A total of 38 taxa were identified; 35 taxa are new occurrences for Bahia, 25 for the Northeast region, and 2 for Brazil. The data collected increases our knowledge on the distribution of this taxonomic group in Brazilian aquatic environments and shows the considerable diversity of microalgae in the Pantanal dos Marimbus.</p> Camilla Ferraz Sena Kelly Vieira Silva Jorge Rêgo Figueiredo Matheus Santos dos Anjos Deivson Araújo Brandão Mariane Amorim Rocha Patrí­cia Belini Nishiyama Ricardo Evangelista Fraga Helen Michelle de Jesus Affe Márcio Borba da Silva Copyright (c) 2022 Camilla Ferraz Sena, Kelly Vieira Silva, Jorge Rêgo Figueiredo, Matheus Santos dos Anjos, Deivson Araújo Brandão, Mariane Amorim Rocha, Patrí­cia Belini Nishiyama, Ricardo Evangelista Fraga, Helen Michelle de Jesus Affe, Márcio Borba da Silva http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-01-12 2022-01-12 16 e917959 e917959 10.17648/heringeriana.v16i1.917959 Conspectus of the Melastomataceae Juss. in the Distrito Federal, Brazil https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917993 <p>Melastomataceae is one of the most representative families of the Cerrado biome, with 33 genera and 513 species. The last published checklist of Melastomataceae for the Distrito Federal (DF) recorded 19 genera and 87 species as part of the Flora do Distrito Federal project in 2001. Since then, new molecular studies have brought many changes in generic and tribal circumscriptions, hence the importance of updating the taxonomic treatment of the family for the DF. The present Conspectus presents a dichotomous key covering the 18 genera and 89 species of Melastomataceae with confirmed occurrence in the DF. The habit, flower color, number of records in the DF, and most commonly recorded habitats are furnished, as well as images of 20 species.</p> Estela Cristina de Oliveira Lourenço Carolyn Elinore Barnes Proença Cássia Beatriz Rodrigues Munhoz Copyright (c) 2022 Estela Cristina de Oliveira Lourenço, Carolyn Elinore Barnes Proença, Cássia Beatriz Rodrigues Munhoz https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-09-01 2022-09-01 16 e917993 e917993 10.17648/heringeriana.v16i1.917993 Does habitat suitability affect flight-initiation distance in Burrowing owls? https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917967 Eduardo Guimarães Santos Carolyne Oliveira Dias Helga Correa Copyright (c) 2022 Eduardo Guimarães Santos, Carolyne Oliveira Dias, Helga Correa http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-01-13 2022-01-13 16 e917967 e917967 10.17648/heringeriana.v16i1.917967 New records of Boana raniceps (Cope, 1862) (Anura, Hylidae) in Distrito Federal, Central Brazil: https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917969 Beatriz Vasconcelos Emayre Rebecca dos Santos Campos Vitor Matheus Alcântara de Sena Antonio Gabriel Torres Cardoso José Marcos do Nascimento dos Santos Abreu Reuber Albuquerque Brandão Copyright (c) 2022 Beatriz Vasconcelos, Emayre Rebecca dos Santos Campos, Vitor Matheus Alcântara de Sena, Antonio Gabriel Torres Cardoso, José Marcos do Nascimento dos Santos Abreu, Reuber Albuquerque Brandão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-02-24 2022-02-24 16 e917969 e917969 10.17648/heringeriana.v16i1.917969 Primeiro registro de bifurcação da cauda em Colobosauroides cearensis (Squamata, Gymnophthalmidae) https://jardimbotanicodf.org/index.php/heringeriana/article/view/917964 Tatiana Feitosa Quirino Antônio Rafael Lima Ramos Roberta da Rocha Braga Copyright (c) 2022 Tatiana Feitosa Quirino, Antônio Rafael Lima Ramos, Roberta da Rocha Braga http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-02-18 2022-02-18 16 e917964 e917964 10.17648/heringeriana.v16i1.917964